CURIOSIDADES

    É verdade que cada ano de vida de um cachorro é igual a 7 anos dos humanos?

        Não, na verdade a relação entre a idade dos nossos amigos peludos e seus donos não é linear. Por exemplo: uma cachorrinha de um ano de idade já pode ter filhotes, mas uma criança de 7 anos ainda não está pronta para ser mamãe.

     

       Existem pequenas variações nas tabelas que definem a correlação de idades entre os cães e humanos, mas, basicamente, você pode considerar que:

    Relação entre a idade do Cão e a do Homem

    Cão

    Homem

    Cão

    Homem

    Cão

    Homem

    Cão

    Homem

    1ano

    15anos

    6anos

    40anos

    11anos

    60anos

    16anos

    80anos

    2anos

    24anos

    7anos

    44anos

    12anos

    64anos

    17anos

    84anos

    3anos

    28anos

    8anos

    48anos

    13anos

    68anos

    18anos

    88anos

    4anos

    32anos

    9anos

    52anos

    14anos

    72anos

    19anos

    92anos

    5anos

    36anos

    10anos

    56anos

    15anos

    76anos

    20anos

    96anos

    Quais são as fases da idade emocional de um cãozinho?

    Período neo-natal: do nascimento até 12 dias de vida

    É a fase em que o cachorrinho depende exclusivamente de sua mãe. Com esta idade ele não consegue controlar sozinho a temperatura de seu corpo, precisa de estimulação física para fazer xixi e cocô, e não vê ou ouve, mas já sente o cheiro da mãe.

    Período de Transição: de 13 a 20 dias de vida

    Nesta fase o filhote passa por diversas mudanças físicas. Os olhinhos abrem, ele começa a "engatinhar", ele já pode ouvir, e, por volta do 20o dia já aparece o primeiro dentinho.

    Período de Reconhecimento: de 21 a 28 dias de vida

    Só agora ele começa a usar os seus sentidos de audição e visão. Ele pode reconhecer movimentos, e objetos. Ele precisa muito de sua mãe e irmãozinhos para se sentir seguro e, porque estas percepções sensoriais ocorrem de forma excepcionalmente abrupta, é muito importante que o ambiente em que ele vive seja calmo e estável.

    Período de Socialização Canina: de 21 a 49 dias de vida

    É quando o filhotinho aprende os comportamentos específicos que fazem dele um cachorro. Por isso é tão importante não tirar o filhote da ninhada antes de 7 semanas de vida. É durante este período que ele aprende noções de higiene, respeito à hierarquia, e a ser disciplinado. Com os irmãozinhos ele aprende o jogo "dominante x dominado".

    Período de Socialização com Humanos: de 7 a 12 semanas de vida

    Este é o melhor período para o filhote se juntar à sua nova família. Esta também é a melhor época para introduzi-lo às coisas que farão parte da sua vida. Por exemplo, automóveis, outros animais, crianças, idosos, sons, etc. Tudo aprendido nesta fase é permanente.

    Primeiro Período do Medo: de 8 a 11 semanas de vida

    Neste período qualquer experiência traumática, dolorosa ou assustadora vai ter um impacto mais duradouro do que em qualquer outra fase da vida do animal.

    Período do "rebelde sem causa": de 13 a 16 semanas de vida

    É quando o pequeno meliante resolve testar toda a paciência dos seus donos. Ele vai tentar te morder, mesmo que pareça de brincadeira, dominar, e testar para ver quem será o lider da matilha. Este é o melhor período para iniciar o treinamento de Obediência Básica para Filhotes.

    Período das "Escapadas": de 4 a 8 meses de vida

    Se você ainda não ensinou ao seu filhote a vir quando chamado, este é o momento. Nesta idade ele desenvolve uma "surdez seletiva" que pode durar de poucos dias a várias semanas. É muito importante que os donos saibam como reagir nesta fase para evitar que seu cachorro se torne um eterno fujão.

    Segundo Período do Medo: de 6 a 14 meses

    É quando o cachorro começa a ficar relutante em se aproximar de coisas ou pessoas novas ou até mesmo já conhecidas. O mais importante é que os donos não forcem o cão nestas situações, e nem tentem consola-los, deixando que ele resolva sozinho que não há motivo para ter medo. O treinamento de obediência nesta época ajuda a construir a auto-confiança do cachorro.

    Maturidade: de 1 a 4 anos de vida (varia entre as raças)

    Para a maioria das raças a maturidade (inclusive a sexual) ocorre entre 1,5 e 3 anos de idade, sendo que raças pequenas tendem a amadurecer mais cedo do que os cães gigantes.

    Este período é normalmente marcado com um aumento na agressividade e um novo teste da autoridade do lider. O aumento da agressividade não é necessariamente uma coisa negativa. Muitos cães que eram excessivamente amistosos com estranhos passam a ser ótimos cães de guarda. Sem dúvida nenhuma, esta é uma ótima oportunidade para reforçar a liderança dos donos através de uma reciclagem no treinamento de Obediência Básica .

    Acabamos de comprar um filhotinho e gostaríamos que ele aprendesse a fazer xixi e cocô na rua. Como treinar nosso cachorro a não fazer xixi e cocô dentro de casa?

    Se você decidiu que vai treinar o seu cachorro a ir ao banheiro do lado de fora, existem algumas dicas que podem facilitar muito o treinamento.

    Controle a ingestão de água e comida. Muitos donos de cachorro acham que é melhor para o cachorro ter comida é água disponíveis o dia inteiro. Na verdade esta não é uma boa prática, uma vez que você não terá controle sobre a quantidade de comida que o seu cachorro está ingerindo. Sinais de falta de apetite serão difíceis de serem notados e o controle no excesso de peso se torna muito mais difícil. Além disso, quando se tem um filhote é muito mais difícil para ele aprender a controlar a bexiga e o intestino se ele tem acesso a comida e água durante o dia inteiro. Ofereça comida é água de 1, 2 ou 3 vezes ao dia de acordo com a orientação do seu veterinário (normalmente filhotes até aos 5 meses são alimentados 3 vezes ao dia, passando para duas vezes a partir dos 6 meses e 1 vez ao dia a partir de 1 ano). Se você mora numa região muito quente ou exercita o seu cachorro, ofereça água mais vezes, mas não deixe o prato cheio no chão. Dê um tempo para o seu cachorro se alimentar e beber sem pressa. Normalmente de 15 a 20 minutos de cada vez é o suficiente. Retire os pratos e leve imediatamente o seu cachorrinho para passear. Lembre-se de sempre fazer muita festa para ele quando ele fizer xixi e cocô no lugar certo (no caso, na rua).

    Mantenha um horário constante. Até que seu cachorro esteja totalmente treinado e tenha controle, procure manter um horário rígido para as saídas. Filhotes vão precisar de "ir ao banheiro" sempre que acordarem de uma soneca, depois de comer ou beber água, depois de brincar, ou antes de ir dormir a noite. Vá aumentando o intervalo entres as saídas e reduzindo o número de vezes aos poucos. Se um acidente ocorrer, volte a rotina antiga por um pouco mais de tempo.

    Mantenha a casa livre de cheirinhos. Sempre que um cachorro sentir o cheiro de urina ou fezes, ele tenderá a voltar a este lugar. Limpe os lugares da casa com um bom produto vendido nas lojas especializadas (Nature Miricle é excelente), ou use uma solução de 1 parte de desinfetante, uma parte de água sanitária e 20 partes de água quente (cuidado com estofados e tapetes que podem manchar). Por outro lado, se você levar o seu cachorro para fazer xixi e cocô nos mesmos lugares, ele se sentirá muito mais atraído pelo cheirinho antigo do que por um lugar novinho em folha.

    Restrinja as áreas acesso. O seu cachorro deve entender que a sua casa é também a casa dele e por isso mesmo deve ser mantida limpa. Se o seu cachorro já faz xixi e cocô dentro de casa com uma certa regularidade, a restrição do acesso dele a determinadas partes podem ajudar. Primeiro evite que ele tenha acesso aos lugares que servem como "banheiros preferidos". Institua e mantenha a rotina nos horários de saída. Na medida em que o cachorro for se tornando mais confiável, reintroduza as "áreas de perigo", mas com estrita vigilância. Comece deixando o cachorro dar só uma voltinha na sala, quarto ou varanda, vá aumentando o período de tempo e sempre de olho. Qualquer sinal de xixi a caminho, ponha a coleira e leve-o para fora. Faça a maior festa se ele fizer no lugar certo. Traga-o para mais uma voltinha no lugar da casa que ainda é restrito.

    Evite troca constante de alimentação. Ao contrário do que muitos donos pensam, não é nada bom para o cachorro ficar dando uma "variadinha" no menu. Ao contrário de nós humanos, os cachorros desenvolvem no estômago e intestinos um tipo de bactéria específico para ajudar na digestão de cada tipo de alimento. Cada vez que nós trocamos a alimentação de nossos amigos de 4 patas, eles tem que se readaptar a nova comida e isso pode gerar diarréias ou constipação. Se você tiver que mudar de uma alimentação par outra, faça-o bem devagar, misturando a ração velha a ração nova em proporções cada vez maiores.

    Corrija na hora certa e recompense os acertos. Lembre-se, não adianta corrigir o seu cachorro se você não pegá-lo no ato. Se você chegar em casa e encontrar um "presentinho" no seu tapete, respire fundo, limpe bem e esqueça. Sim, Rex vai te olhar com cara de culpado, mas não é bem porque ele sabe que fez besteira. Ele sabe que você está com raiva porque ele pode "ler" tensão na postura do seu corpo, sua cara de desagrado e a sua voz "rosnando": "Rex! Quem fez isso", mas ele não sabe que foi pelo cocô que já está lá tem meia hora. Também nunca chame Rex para lhe passar uma descompostura. O seu chamado deve estar sempre ligado a coisas boas, senão porque ele deveria vir? Rex é cachorro e não burro! Bater, chutar, esfregar focinho no chão, ou sacudi-lo pelo pescoço podem até fazer bem para o seu stress, mais não farão bem algum para o seu cachorro e a sua relação com ele. Se você pegar Rex no flagra, diga um NÃO bem firme, ponha a coleira e leve-o para fora o mais rápido possível.

    Tenha paciência. Um filhote não tem controle da bexiga e intestinos antes dos 5 ou 6 meses. Seja consistente. Mantenha os horários e a rotina, faça sol ou faça chuva. Seja justo. Não seja um tirano do qual o seu cachorro não tem confiança ou admiração. Faça sempre muita festa quando ele fizer no lugar certo, dê muito carinho e diga com uma voz macia o quanto ele é bonito e você gosta dele. Você vai ficar surpreso de ver como Rex vai aprender rápido o que você espera dele. E lembre-se acidentes acontecem….

    Sempre que eu saio de casa o meu cachorro faz o maior escarcéu, latindo, chorando e arranhando a porta. Isso tem incomodado os vizinhos e me deixado com vergonha e raiva. Como posso fazer ele para com isso?

    Porque cachorros são fortemente orientados para uma vida em grupo, eles tendem a demonstrar uma enorme frustração em ficar sozinhos com protestos que vão desde o choro e latidos incessantes, até a destruição total da sua casa, e alguns chegam mesmo a ficar deprimidos, sem comer e sem beber se a privação da companhia do dono for por muito tempo. Por ser um processo natural do cachorro (viver em grupo), este é um dos mais difíceis e demorados problemas de serem corrigidos.

    Para começar, acostume o seu cachorro com o rádio ligado enquanto você estiver em casa, assim, quando você for se ausentar e deixar o rádio ligado, ele vai se sentir como se alguém ainda estivesse por perto. Deixe o seu cachorro por pequenos períodos de tempo sozinho. Quando for retirar o lixo, deixe o seu cão do lado de dentro com a porta fechada e observe. Se ele começar a latir diga junto a porta e com uma voz bem firme: NÃO! Espere ele parar de protestar e entre em casa. Faça a maior festa se ele ficar quietinho. Vá aumentando o tempo e o número de vezes em que você "sai" de casa, sempre repetindo NÃO quando ele latir ou chorar e dando muito carinho quando ele estiver calado. Finja que vai sair de casa. Pegue suas chaves, pegue sua bolsa ou sua carteira. Dirija-se até a porta e então pare e dê meia volta e brinque e agrade o seu cachorro se ele se demonstrar calmo. Ignore-o se ele estiver ansioso. Com o tempo ele vai para de associar estes movimentos com a sua saída de casa e vai diminuir a antecipação da ansiedade pela separação. Leve-o para uma volta antes de você sair e deixe vários brinquedos interessantes para ele se distrair enquanto você está fora. Um bom truque é comprar um destes ossos que são ocos no meio e enchê-los com biscoitos de cachorros ou "bifinhos" próprios para cachorros, ou ainda ração enlatada. Ele vai ficar um bom tempo tentando "pescar" as guloseimas dentro do osso e terá menos tempo para ficar pensando na sua ausência.