Dicas de Criação de Cães

PRIMEIROS DIAS

Quanto mais colostro melhor

As defesas do filhote dependem somente dos anticorpos herdados da mãe, que duram por seis a 16 semanas. Cerca de 90% deles vêm pelo colostro, o 'leite" mais claro dos cinco primeiros dias, sendo as primeiras 24hs as mais importantes. A proteção é maior no filhote que mama mais (ninhadas com cinco ou menos filhotes são favorecidas) e cuia mãe foi vacinada antes de cruzar (ela adquire mais anticorpos).

ANTES DA VACINACÃO

Resguardar o filhote

Evite os riscos de contágio até 15 dias após o filhote tomar a última vacina. Nada de passeios nem banhos, a não ser se recomendados pelo veterinário. As pessoas que forem a locais que têm outros cães devem desinfetar os sapatos, as mãos e o chão com uma parte de Cândida para uma de água. E se você tocou num cão estranho, troque de roupa antes de segurar o filhote.

ALIMENTAÇÃO

Dar bem balanceada e fresca

Boa nutrição fortalece o organismo. Rações balanceadas de boa qualidade são adequadas. Se a comida for caseira, peça orientação ao s veterinário. Comida deteriorada pode infeccionar o sistema digestivo e ativar as defesas, deixando-as menos disponíveis para repelir outras doenças. É melhor
dar comida nas horas mais frescas e retirá-la meia hora depois.

PARASITAS

Eliminar logo que aparecem

Acabe com eles assim que os descobrir. Pulgas, carrapatos e bernes provocam irritação na pele (alergia), inflamando-a e requisitando o sistema imunológico. Vermes no intestino " roubam" parte da alimentação ingerida pelo cão, tornando-o mal nutrido e com menor capacidade de produzir anticorpos.

FRIO

Proporcionar temperatura adequado

Sentir frio agride o organismo e causa estresse, debilitando as defesas por diminuir a resistência. É preciso abrigar bem os cães que ficam fora de casa. Considere que está frio para cães de pêlo médio e longo se a temperatura for inferior a l5oC e para os de pêlo curto e pelados, se for abaixo de 2OoC.

CALOR

Atenção aos efeitos dele

O excesso de calor causa estresse, reduzindo as defesas. Sirva água fresca à vontade nos dias mais quentes e evite excesso de exposição ao sol e exercícios prolongados. Com o calor, a comida caseira pode deteriorar mais depressa (veia Alimentação); pulgas e outros parasitas se multiplicam (veia Parasitas).

    CORRENTES DE AR

Bloquear este transporte de vírus e bactérias

Microrganismos causadores de doenças respiratórias, como resfriado e pneumonia, vêm pelo ar. Evite esta sobrecarga às defesas do cão.

CHOQUE TÉRMICO

Evitar 'contrastes" de temperatura

Corpo quente que pega ar frio ou vice-versa sofre estresse, perdendo resistência e abre, assim, portas para doenças.

UMIDADE

Secar o habitat dos vírus e bactérias

A umidade ambiental favorece a proliferação de vírus, bactérias e pode causar doenças do sistema respiratório - o ambiente deve ser ensolarado. Além disso, no corpo, a umidade na pele abaixa a temperatura do cão e o deixa mais sujeito a infecções em geral, entre elas as dermatites, que ativam a resposta imunológica deixando-a menos disponível para combater outras doenças.

HIGIENE

Limpar é afastar ameaças

Em ambiente limpo, fica bem mais fácil o controle de insetos, parasitas e até mesmo vírus e bactérias, todos potencialmente ameaçadores ao sistema imunológico.

DOENÇAS

Cortar o mal no princípio

Quando aparecem os primeiros sinais de doença, o sistema imunoiógico já está mais vulnerável. Trate logo o cão.

ESTRESSE

Evitar desgastes desnecessários

O estresse agride o organismo enfraquecendo-o, o que é péssimo para o sistema imunológico.

RESGUARDO

Dizer não a contatos no rua

Não deixe o seu cão sair sozinho, pois poderá ter contato na rua com cães e animais portadores de enfermidades.

OBESIDADE

Manter a linha

Problemas da obesidade estressam o cão e, consequentemente, a imunidade dele diminui.